sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

LEMBRANÇAS DE MOMENTOS II

Ela estava pensando no quanto se sentia só, perdida, sem nem uma perspectiva de vida.
Isto refletia muito na sua alma e no seu coração, como se fosse algo que ficava lhe corroendo por dentro....

Faltava tanta coisa na sua vida e tudo isso lhe traziam perguntas que não haviam respostas.
Porque esta angústia e essa tristeza no seu coração que lhe davam um nó na garganta e não conseguia chorar, por mais que sentisse vontade? 

Por que se sentia diferente das demais pessoas se sabia que era igual à elas? Tudo isso passava pela sua cabeça.....No entanto, ela se perguntava....O que à prendia a ele? Quase tudo....
.
Todas as vezes que ia a um bar, see lembrava muito dele. Sabe por que? Foi em um desses bares que ela tomou o seu  primeiro porre pensando em nele, e por ele ela ouvia Belchior cantando aquela música:

"Estou longe de casa..." e se via perdida e afogada neste amigo dos desesperados, o álcool.

Ela ainda continuava se embriagando, mas de saudades, de vontade de tê-lo perto......e agora.....hoje.....

Há dias sentia uma vontade imensa de transferir o que sentia, vontade essa motivada pela profunda sede de conversar e poder compreender todo esse processo que se passava e passa  na sua mente e coração.

Pensava: porque tudo isso? não sabia responder, porém, a vontade  e a necessidade de encontrar respostas para tudo era maior.
Há algum tempo atrás, pensava que há muito falava das mesmas coisas, pronunciava as mesmas palavras, por que o problema era o mesmo. 

O que pensar? As pessoas já sabiam de tudo, ela apenas ratificava, o que já havia falado antes, pois apenas aumentava a cada dia a angústia de estar em estado apático e estático em que se encontrava a sua vida, e o pior era que ameaçava  regredir.

Vinha o medo... perguntas...será que sua vida não passava de fantasias? preocupação.....Hoje pensa: "E eu?, será que sou capaz de suportar uma barra mais pesada que esta"? pensa...uma, duas, três vezes ... e acaba achando que não é capaz de viver sem ele.

Esses dias todos havia esperado incansavelmente, bate a saudade aguda, mas o que fazer? Pintou uma vontade louca de ver vê-lo. 
Mas a distância e diante das circunstâncias que ora atravessava, lhe parecia uma limitação e isso aumentava sua angústia , minha dor. 

E agora? o que ela fará com esse sentimento??????




                                          
                                     


Postar um comentário