terça-feira, 23 de agosto de 2011

REVENDO O MEU FAZER SOB UMA PERSPECTIVA TEÓRICO-PRÁTICA

No inicio não se ouvia falar de orientador educacional e sim inspetor, o pedagogo, era visto como um policial da educação, onde o seu papel era inspecionar a escola e o trabalho do professor e muitos talvez não tinham a percepção, a compreensão do seu verdadeiro papel dentro do processo de educação.
Ser orientador educacional hoje, tem um sentido amplo e diversificado. A sociedade mudou e continua mudando.
As escolas não tem mais as mesmas necessidades de antes, o corpo docente e discente também passaram por processos de mudanças.
Hoje a prática educativa necessita ser orientada em função de objetivos propostos, onde haja uma interação e reflexão profunda do orientador como educador sobre o homem, sobre o mundo, sociedade e valores.
As mudanças na sociedade e seus reflexos no interior da escola requer do orientador uma ação pautada na redefinição da prática pedagógica. O orientador deve, antes de tudo, ser um visionário para poder compreender os problemas do cotidiano escolar, refletir, solucionar e administrar possíveis conflitos, atuando como mediador nessas situações problemas.




                                   
Postar um comentário