sexta-feira, 14 de setembro de 2012

PROJETO POLITICO PEDAGÓGICO



                                 
Esse estágio supervisionado sobre o Projeto Político Pedagógico teve uma elaboração de forma contínua, participativa e reflexiva, liderado pela coordenação pedagógica dessa escola, a mesma trabalha com a presença de alguns membros da comunidade escolar, através de reuniões semanais, com o intuito de estabelecer a missão e os objetivos da escola, agregando sugestões de participantes e levando em conta a realidade local.
Esta escola conta com vinte professores e dez salas de aulas, são salas bem arejadas e confortáveis, visando o bem estar da criança que aqui está inserida. Possui as características de uma escola que está realmente com o compromisso firmado de educar verdadeiros cidadãos para o futuro e como um importante instrumento de auto- avaliação.
O Projeto Político Pedagógico, dar suporte e direcionam o trabalho pedagógico, seu principal objetivo é direcionar e efetuar o sucesso da instituição educacional a que pertence, servindo de porto seguro aos professores e demais pessoas relacionadas à área.


 SUMÁRIO
  Capítulo 1- Projeto Político Pedagógico
1-1 Descrição do projeto Político-Pedagógico da escola, abordando suas principais características. Caracterização da Escola.________________01

1-1 Descrição do projeto Político – pedagógico da escola, abordando suas principais características._______________________________________02
-Breve histórico da unidade escolar.
-Eixo norteador da escola.
-Valores e Missões da escola.
-Regimento Escolar: Leis vigentes (9394/96; 11.274/06; Estatuto da criança e do adolescente, e outros.

1-1 Descrição do projeto político-Pedagógico da escola, abordando suas  principais características._______________________________________03
-Objetivos.
-Contextualização e caracterização da escola:
          -Caracterização da comunidade: aspectos geográficos, históricos,
          Sócio- econômicos.
         -Perfil dos alunos e corpo técnico pedagógico.
         -Concepção da educação e da prática pedagógica:
1-1 Descrição do projeto político-pedagógico da escola, abordando
 suas  principais características.
         -Descrição do projeto político-pedagógico.
 1-2 Ações concretas que a escola vem desenvolvendo para tornar seu projeto político-pedagógico um instrumento elaborado a partir do envolvimento e das contribuições de todos seus agentes sociais:
      _Quais as ações que a escola realiza para por em pratica o projeto
       Político-pedagógico?_______________________________________04
 1.3-  Contribuições de alunos, familiares, professores e comunidade em
 geral na elaboração do projeto pedagógico da escola:_________________05

1-4 Os principais aspectos levados em consideração no momento de elaboração do planejamento pedagógico da escola:
-Marco situacional: O diagnóstico das necessidades, a partir da análise da realidade e/ou juízo sobre a realidade da escola, comparando com o que se deseja ser._________________________________________________06

Capítulo 2:
O ORIENTADOR EDUCACIONAL E SUAS PRÁTICAS
2-1 Ações do orientador educacional que concretize o cumprimento de seu papel de elaborador, implementador e fortalecedor do projeto sócio-educacional da escola:_________________________________________07

Capítulo 3:
A ESCOLA COMO AGENTE DE INTEGRAÇÃO SOCIAL
3-1 Avaliação do calendário da escola com vista à constatação de seu papel de agente integrador da sociedade na qual está inserida;______________________________________________________08

3-2 Indicação e análise de pelo menos 02 eventos constantes no calendário da escola, quanto aos seus níveis de possibilidade de integração social.______________________________________________09

CAPÍTULO 4:
A PERSPECTIVA COLETIVA DO TRABALHO
4-1 Descreva de que forma as ações vêm sendo desenvolvidas em relação à orientação vocacional:________________________________________10

CAPÍTULO 5:
AS FICHAS DE INFORMAÇÕES DOS ALUNOS
5-1 Utilização dos dados individuais dos alunos para desenvolvimento de ações de marketing de Relacionamento:
- A partir dos dados individuais dos alunos, propor ou descrever as estratégias de marketing de relacionamento utilizadas pela escola, para o fortalecimento da fidelização e satisfação de seus clientes.___________11

CAPÍTULO 6:
A ORIENTAÇÃO EDUCACIONAL E SUAS DIMENSÕES
6-1 Descrever as ações existentes na escola para o acompanhamento de seus egressos:________________________________________________12

CAPÍTULO 7:
CONTEXTUALIZAÇÃO DO PLANO DE TRABALHO DO ORIENTADOR EDUCACIONAL
7-1 Observar o plano de trabalho do orientador educacional e analisá-lo quanto à sua possibilidade de contextualização com os diversos segmentos da escola;__________________________________________13
-Descrever e analisar o plano de trabalho do orientador educacional.

7-2 Indicação de pelo menos uma ação que comprove a contextualização do plano de trabalho com as famílias dos alunos e com a comunidade.__________________________________________________14
CAPÍTULO 8:
ORIENTADOR EDUCACIONAL E CIDADANIA

8-1 Descreva e avalie como o plano de trabalho do orientador educacional pode contribuir para formação de cidadãos civilmente responsáveis pela sociedade da qual faz parte._____________________________________15


CAPÍTULO 1 - Projeto Político Pedagógico
1.1-Descrição do Projeto Político-Pedagógico da escola, abordando suas principais características:
Apresentação ou introdução: caracterização da escola.
Introdução
Neste trabalho de estágio supervisionado, pretendo discutir questões
Referentes à elaboração do Projeto político Pedagógico na escola, explicitar e compreender o seu significado, qual sua relação com a escola
E fazer uma reflexão sobre alguns pressupostos que devem orientar esta proposta pedagógica.
Entendo que através deste estágio e de um trabalho coletivo iremos
Permitir e avaliar a vontade de mudar, pensar numa ação concreta e trabalhar as utopias e projetar mudanças para metas comuns que intervenham na realidade escolar.
Quando existe dentro da escola, o Projeto Político Pedagógico torna-se bem mais fácil o planejamento anual, sabendo que a capacidade de cada profissional será produtiva e positiva, dentro de um contexto de aprendizagem qualitativo.
Portanto, considera-se que o Projeto Político Pedagógico prevê todas as atividades da escola, o pedagógico ao administrativo, contribuindo assim no processo de democratização da sociedade em busca de qualidade na educação.
O objetivo desse estágio é pesquisar a importância do Projeto Político Pedagógico no contexto escolar, e como acontece o processo de construção e execução do mesmo no segmento escolar, considerando os princípios que norteiam as práticas educativas.
Veremos neste relatório de estágio dessa determinada escola, como é a realidade do dia-a-dia nesse processo de trabalho coletivo.


1-1–Descrição do projeto político – pedagógico da escola, abordando suas principais características:
Histórico da Escola Comunitária do Tapanã
Eixo norteador da escola
Valores e missão da escola
Regimento escolar.
Fundada no ano de 2003, a Escola Comunitária do Tapanã, construída com o objetivo de suprir as necessidades educacionais desta comunidade do Bairro do Tapanã e arredores. Foi criada por três mulheres que se tornaram sócias com o mesmo objetivo, que é o de contribuir na educação de crianças de baixa renda.
 A escola é situada no Bairro do Tapanã, numa casa que de uma das sócias, aonde mais tarde essa casa veio a ser expandida aumentando assim o espaço, e hoje tem dez salas de aulas, três banheiros, copa, área de recreação e secretaria.
 As aulas acontecem em dois turnos, manhã e tarde, onde funciona o ensino infantil e fundamental. A escola já foi legalizada em 2005 e conta com um número de funcionários de vinte e um funcionários. A gestora atual é a Srª Leci Barata, que é uma das sócias, a escola atende esse ano uma demanda de cento e vinte e cinco alunos. A escola não mede esforços para se tornar referência quando se fala em qualidade de educação.
Eixo norteador da escola
Considerando o Projeto Político-Pedagógico essencial para o bom funcionamento da escola, faremos uma abordagem teórica acerca dos temas que diante dos desafios da pós-modernidade é considerado pertinente a todos os envolvidos no processo educacional. O Projeto Político-Pedagógico é antes de tudo a expressão de autonomia da escola no sentido de formular a executar sua proposta de trabalho. É um documento juridicamente reconhecido, que norteia e encaminha as atividades desenvolvidas no espaço escolar e tem como objetivo central identificar e solucionar problemas que interferem no processo ensino aprendizagem. Este projeto está voltado diretamente para o que cada escola tem de mais importante “o educando” e para aquilo que os educados e toda a comunidade esperam da escola, uma boa aprendizagem. O Projeto Político-Pedagógico é um caminho traçado coletivamente, o qual se deseja enveredar para alcançar um determinado objetivo. Deste modo, ele deve existir antes de tudo porque se define como ação que é anteriormente pensada, idealizada.
É tudo aquilo que se quer em torno da perspectiva educacional: a melhoria da qualidade do ensino através da reestruturação da proposta curricular da escola, de ações efetivas que priorizem a qualificação profissional do educador, no compromisso em oportunizar ao educando um ensino voltado para o exercício da cidadania, etc. É através de sua existência que a escola registra sua história, pois é conhecido como “um conjunto de diretrizes e estratégias que expressam e orientam a pratica Político- Pedagógico de uma escola”. É um processo inacabado, portanto continuo que vai se construindo ao longo do percurso de cada instituição de ensino. O Projeto se dá de forma coletiva, onde todos os personagens, direta ou indiretamente, pais, professores, alunos, funcionários, corpo técnico administrativo são responsável pelo seu êxito. Assim, sua eficiência depende em parte do compromisso dos envolvidos em executá-lo.
Valores e missões da escola.
O conhecimento é a informação elaborada que adquirimos a partir de nossas experiências com o meio social, pessoal e objetivo. A educação transforma o ser humano contextualizando discussões a cerca de valores, é nessa visão que a escola deve seguir conceitos relacionados à transmissão de conhecimentos proporcionando um ponto de vista social, onde o educando seja o foco principal, e a escola intercalada geralmente como o lugar para aquisições dessas noções de conhecimentos, deverá ser intermediadora, deve assim fazer de forma prazerosa, produtiva, tendo em vista o processo adequado à realidade.
Nossa missão é abrir novos horizontes através de um ensino de qualidade, contribuindo com o conhecimento para que os discentes formem valores éticos, e sejam cidadãos cada vez mais preparados, em alto grau reflexivo, habilitado a conviver em sociedade.
Regimento escolar:
Leis vigentes 9394/96; 11.274/06; estatuto da criança e do adolescente, outros.

De acordo com a LDB nº 9394/96, art. 2 diz que: “A educação, dever da família e do Estado inspirada nos princípios da liberdade e nos ideais da solidariedade humana, tem por finalidade o pleno desenvolvimento do educando, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho”. Considerando que é na filosofia pedagógica que se explicita ou não, que cada escola expressa o seu perfil de homem que deseja formar, esta escola, cuja filosofia é de que o homem educado deverá ser livre, consciente e transformador, procurará promover uma educação esclarecedora, baseada nos princípios da democratização, integração, solidariedade que constitui instrumento de valorização e reafirmação do homem como sujeito de sua própria história, empenhando na conquista de uma sociedade mais igualitária, preparando-o para o trabalho e para o exercício consciente da cidadania.
O Conselho Nacional de Educação (CNE), órgão colegiado do Ministério da Educação (MEC) e os Conselhos Estaduais de Educação (CEE´S), órgãos colegiados das Secretarias Estaduais da Educação (SEE) e Conselhos Municipais de Educação usam como instrumentos para a elaboração das orientações emanadas pela Constituição Federal leis complementares, como o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e a Lei 9394/96 (LDBEN), indicações, pareceres, deliberações e resoluções.
As instituições de ensino e os colegiados elaboram seus regimentos internos. O regimento é um documento legal interno das instituições que determina as atribuições e competências dos integrantes da instituição e as relações destas com a comunidade.

1-1– Descrição do projeto político – pedagógico da escola, abordando suas principais características.
Objetivos (o que queremos?)
Contextualização e caracterização da escola.
Caracterização da comunidade: aspectos geográficos, históricos, sócio-econômicos.
Perfil dos alunos e corpo técnico pedagógico.
Concepção da educação e da prática pedagógica: (perfil do aluno que se quer formar)
Queremos propiciar meios para formar cidadãos cada vez mais compromissados e preparados para que possa se relacionar com a sociedade, através da transmissão de seus conhecimentos, participando ativamente nas aquisições relacionadas a conceitos educacionais de uma forma geral, tendo uma postura critica perante a sociedade em que vive.
Contextualização e caracterização da escola.
A escola é uma instituição sócio-cultural a qual se atribui grande importância, sua contextualização é potenciar o processo de ensino nas suas relações, caracterizando assim um ensino de qualidade, transmitindo e oferecendo aos educando uma educação em excelência.
Sendo assim , a educação se complementa, dando condições de desenvolvimento e motivando de maneira eficaz aos educados, para que os mesmos possam chegar ao sucesso. A escola CCT, localiza-se no Bairro do Tapanã, rua barlaventos, nº 17, no Tapanã, distrito de Belém, Estado do Pará. Quanto ao aspecto físico, a escola situa-se numa área dentro do próprio Bairro, numa casa, que está em processo de adaptação, pois não foi projetada para funcionar como escola, quanto seus entornos, todas as ruas são asfaltadas, apresenta pouca arborização ao seu redor e por isso no verão o calor é insuportável possuindo um clima quente e úmido, como as demais área da região. Em relação ao aspecto humano, calcula-se a existência de oito mil famílias nas adjacências da escola. No aspecto religioso, observa-se uma diversidades de religiões. Observando o grau de escolaridade da comunidade escolar ( pais e responsáveis), constata-se um baixo nível, o numero de pais que não concluíram o ensino médio , é expressivo, fato observado no interior da própria escola, quando os pais não conseguem auxiliarem seus filhos em suas atividades escolares. A população é basicamente constituída de baixa renda, a atividade sócio-econômica dos moradores é diversificada. As residências dentro do Bairro, são todas de alvenaria e aspectos de conservação boa, já as residências das comunidades dos arredores, grande parte são também de alvenaria, mais existem muitas casas de madeiras com telhas de barros, algumas sobre terrenos alagados, sem rede de esgoto e água tratada. Em relação ao lazer e recreação dessas famílias pode-se constatar que há quase uma inexistência, apesar de serem fatores básicos na vida de um cidadão.

1-1– Descrição do projeto político – pedagógico da escola, abordando suas principais características.
Descrição do Projeto Político Pedagógico:
É um instrumento de trabalho que mostra o que vai ser feito, quando, de que maneira, por quem para chegar a que resultado. Além disso, explicitam uma filosofia e harmonia as diretrizes da educação nacional com a realidade da escola, traduzindo sua autonomia e definindo seu compromisso com a clientela. É a valorização da identidade da escola e um chamamento à responsabilidade dos agentes com as nacionalidades interna e externa. Essa idéia implica a necessidade de uma relação contratual, isto é, o Projeto deve ser feito por todos os envolvidos, daí a importância de que seja elaborado participativa e democraticamente.
Evidenciamos aqui os termos Político e pedagógico, procurando uma justificativa do projeto dentro da escola. O projeto é político por estar introjectado num espaço de sucessivas discussões e decisões, pois o exercício de nossas ações está sempre permeado de relações que envolvem debates, sugestões, opiniões, sejam elas contra ou a favor. A participação de todos os envolvidos no Projeto Político Pedagógico da Escola, as resistências, os conflitos, as divergências São atos extremamente político. Logo concordamos com Aristóteles quando afirma que “todo ato humano é um ato político”.
O projeto é pedagógico por implicar em situações especificas do campo educacional, por tratar de questões referentes à prática docente, do ensino aprendizagem, da atuação e participação dos pais neste contexto educativo, enfim, de todas as ações que expressam o compromisso com a melhoria da qualidade de ensino.

1-2– Ações concretas que a escola vem desenvolvendo para tornar seu projeto político pedagógico um instrumento elaborado a partir do envolvimento e das contribuições de todos seus agentes sociais:
-Quais ações que a escola realiza para por em prática o projeto político - pedagógico?
A necessidade de qualificar cada vez mais a educação e a consideração de que o investimento na formação de professores é um dos fatores essenciais que a escola prioriza e garante essa qualidade, levando-nos a perceber através de estudo desenvolvido, que a essência da formação continuada do docente deixa uma grande lacuna na prática pedagógica destes profissionais, dificultando assim, o processo de ensino aprendizagem dos alunos. Em virtude disso, propomos através da formação continuada em serviço, ações que possibilitem mudanças significativas na prática pedagógica dos docentes, envolvendo profissionais atuantes nos vários espaços pedagógicos da escola. Com uma perspectiva de investigar as diversas potencialidades inerentes dos seres humanos e tendo em vista que o alunado precisa desenvolver o seu potencial, ações são realizadas afins de que, possa ser inicializadas algumas atividades concretas, colocando em prática o Projeto Político Pedagógico, para haver mudanças de atitudes na escola e na formação do aluno, apontamos algumas ações decorrentes desse projeto:
-Oportunizar a integração inter-classe.
-Formação continuada dos professores.
-Jogos internos.
-Feira cultural.
-Festa junina.
-Desfile escola.
-Comemoração das datas cívicas.

1-3– Contribuições de alunos, familiares, professores e comunidade em geral na elaboração do projeto pedagógico da escola:
- Descrever a participação dos agentes sociais na elaboração do projeto pedagógico:

Diretores
Professores
Alunos
Familiares
Comunidade
O Projeto Político-Pedagógico tem um caráter dinâmico e não acontece porque assim desejam os administradores, mas porque a escola se preocupa com o destino de nossas crianças e da sociedade e ansiamos por mudanças. Sendo assim, o Projeto Político-Pedagógico é planejado, organizado por toda a comunidade escolar. O projeto Político Pedagógico foi construído tendo por base tarefas simples, possíveis de serem executadas no dia-a-dia da escola, propondo uma educação de qualidade, considerando os principais problemas que interferem no bom desempenho dos alunos, definindo e aprimorando seu modelo de avaliação.
A forma para a construção, elaboração e criação do Projeto Político Pedagógico é a forma coletiva, na qual alunos, professores, orientadores, supervisores, funcionários, família e comunidade discutem o Projeto Político Pedagógico. É através das discussões e das necessidades individuais tornadas coletivas, que o Projeto Político Pedagógico passa a ser desenhado na cabeça das pessoas, para que possa ser colocado em prática pela escola.

1-4– Os principais aspectos levados em consideração no momento de elaboração do planejamento pedagógico da escola:
-Marco situacional: O diagnóstico das necessidades, a partir da análise da realidade e/ou juízo sobre a realidade da escola, comparando com o que se deseja ser.
A lei de Diretrizes e Bases da Educação 9394/96, Poe em questão a construção do Projeto Político Pedagógico, no sentido de reconhecer a capacidade da escola de planejar e organizar sua ação política e pedagógica a partir da gestão participativa em todos os segmentos da comunidade escolar. Com a intenção de desenvolver a gestão democrática e participativa essa investigação ou pesquisa se realizou através de entrevistas com as referidas categorias, abaixo mencionadas, diagnosticando as necessidades e analisando a realidade da escola onde se deseja formar verdadeiros cidadãos.
_Nível de escolaridade dos pais: ensino fundamental ou médio incompleto;
-Renda familiar: salário mínimo, e escolheram a escola por ser perto de suas casas.
-Local adequado para as crianças fazerem Educação Física.
-Os alunos têm dificuldades na escrita e na leitura e necessitam de reforço e incentivo em casa.
-A escola é muito simples e necessita de mais salas e mais amplas.
As salas são pequenas e necessitam de ventiladores, pois as mesmas são muito quentes pela parte da tarde.

Através dessa pesquisa foram detectadas as necessidades que a escola apresenta e sua realidade, mostrando o esforço dos alunos e dos próprios funcionários e administradores da mesma para que todas as dificuldades e necessidades sejam supridas e resolvidas para o bem estar de cada educando.


   Capitulo 2 _ O Orientador Educacional e suas práticas.

  2.1 - Ações do orientador educacional que concretize o cumprimento de seu papel de elaborador, implementador e fortalecedor do projeto sócio – educacional da escola:

- Exemplos: Aulas de reforço, programas, projetos e campanhas educativas.
Visando a necessidade de valorização do ser humano, faz-se necessário desenvolver projetos que venham motivar, aprimorar e engrandecer o aprendizado dos docentes, e fortalecer os laços afetivos entre professores, alunos e sociedade escolar como um todo. Portanto, relatamos abaixo, algumas ações desenvolvidas pelo orientador educacional que cumprindo o seu papel, tem fortalecido este projeto de forma proveitosa para a escola:
-Semana da amizade (Desenvolver e estimular a prática da cortesia e amizade entre todos).
-Programa escola limpa (Os alunos são orientados e incentivados a manterem a escola sempre limpa e todo o espaço onde vivem).
-Projeto: Educar para Preservar; gincana ecológica (mostrar que a educação ambiental não deve ser tratada como algo distante a educação dos alunos, mas que fazem parte de suas vidas)
-Cidadania (abertura da semana da pátria; momento cívico)
-Aulas de reforço (é realizado pela própria orientadora educacional)

   Capitulo 3
A escola como Agente de Integração Social

3.1 – Avaliação do calendário da escola com vista à constatação de seu papel de Agente Integrador da sociedade na qual está inserida:

Análise do aluno
Avalio o calendário da escolar tendo em vista e através da pratica desportiva sistemática que, vem complementar o lúdico pedagógico, vislumbrando as mais diversas potencialidades inerentes ao ser humano, no interagir social e integração da comunidade local como um todo organizado, buscando a melhor qualidade de ensino para os docentes, despertando assim, o senso critico na busca de solucionar problemas e canalizar agressividades na determinação de um único objetivo, o de determinar valores e padrões de comportamento efetivando e mantendo a auto-estima através da motivação positiva.
Foi avaliado e constatado a contribuição decisiva do projeto Político Pedagógico na formação global do docente, desenvolvendo assim, suas habilidades não só motoras, mas, psíquico, para a melhor construção do desenvolvimento, levando assim seus saberes a motivar outros a integrar neste processo educacional.


3.2 – Indicação e analise de pelo menos 02 eventos constantes no calendário da escola, quanto aos seus níveis de possibilidades de integração social.
-Semana da Pátria: Proporciona um esclarecimento diversificado e conscientes das desigualdades existente, contribui para a construção de uma vida mais digna para todos.
Evidencia que o respeito e a responsabilidade contribuem para encontrar o equilíbrio, entre garantir os direitos e vive-los responsavelmente de forma que ninguém seja privado deles. Desenvolve o espírito de civismo, patriotismo e de cidadania. Desenvolve o amor ao próximo.
Leva à compreensão do que é cidadania e aplica seus princípios no dia-a-dia.

-Festa Junina: Oportuniza vivências que favorecem a conceitualização da cultura do nosso País, Estado e Regiões. Através das composições textuais das músicas populares brasileiras, o docente desenvolve sua coordenação, supera desafios no campo cognitivo, afetivo-social e motor no contexto da musicalidade.

      Capitulo 4
A perspectiva coletiva do trabalho


PEDAGOGIA

  4.1 – Descreva de que forma as ações vêm sendo desenvolvidas em relação à orientação vocacional:
Exemplos: Feiras, Palestras, testes vocacionais, outros.
Essas ações são desenvolvidas de acordo com os interesses dos docentes, ou seja, através destas ações desenvolvidas pelo segmento escolar, o educando percebe e evidencia crescentes melhorias qualitativas e busca na prática dessas ações, formar seu próprio perfil de docente com compromisso firmado com suas metas e objetivos que norteiam essa prática.
Nesse sentido, essas mesmas ações permitem a projeção de palestras abordando temas atuais, feiras culturais que mostram a realidade do nosso dia-a-dia, fazendo com que o alunado escolha a temática em questão para motivar e auxiliar no teste vocacional e que venha realizar e chegar a sua própria vocação que lhe é atribuída através destas ações.
      Capitulo 5:
As Fichas de informações dos alunos
  5.1 Utilização dos dados individuais dos alunos para desenvolvimento      de ações de Marketing de Relacionamentos:

-A partir dos dados individuais dos alunos, propor ou descrever as estratégias de marketing de relacionamento utilizadas pela escola, para o fortalecimento da fidelização e satisfação de seus clientes.

Através da utilização e observação das fichas de informações dos alunos, pode-se avaliar o perfil de cada um, traçando assim, um plano de como trabalhar em cima das problemáticas dos mesmos.
Em vista disso, e visando a necessidade de valorização do ser humano, faz-se necessário desenvolver uma data especial para se trabalhar o tema amizade e cortesia entre alunos, professores, funcionários e comunidade escolar.
Para fechar esse evento, propomos a efetuação de uma festa em homenagem a etnias que formam o povo brasileiro, conscientizando assim, nossos alunos e funcionários de que sem o respeito nenhum trabalho tem o seu valor completo.
Para a organização desta festa será preparado murais que falem sobre amizade, correio da amizade, onde os amigos poderão enviar recados e cartinhas uns para os outros, poderá haver o bingo da amizade, onde será dado um brinde surpresa e muitos outros brindes como prêmio, poderá ser feito também um concurso de poesias sobre amizade. Neste evento será importante a presença de todos.

Capitulo 6:

A Orientação Educacional e suas Dimensões
6.1 Descrever as ações existentes na escola para o acompanhamento de seus egressos:
As ações existentes na escola são as que já foram aqui citadas, abrindo somente um espaço para os jogos internos da escola, que é de suma importância para os alunos. Pois é o momento que eles podem extravasar suas energias e participarem de varias modalidades que é ofertada pela escola.
Há também, dentro deste mesmo espaço, a gincana da leitura, oportunizando assim a prática da leitura, chegando a novas descobertas através do ler.


Capitulo 7:
Contextualização do Plano de Trabalho do Orientador Educacional

7.1. Observar o Plano de Trabalho do Orientador Educacional e analisá-lo quanto à sua possibilidade de contextualização com os diversos segmentos da escola;
O orientador Educacional tem a responsabilidade de apresentar aos demais segmentos às diretrizes gerais, sobretudo pedagógicas, dando-lhes conhecimento sobre o próprio plano de trabalho. Assim sendo, observando e analisando o plano de trabalho do coordenador educacional desta referida escola, cabe aqui destacar que, sob uma perspectiva dialógica de trabalho coletivo, é necessário nesse processo, que foi observado, garantir a participação de todos os envolvidos nesse segmento escolar, já que foi observado que o trabalho dessa coordenação educacional vem sendo visto como defasado e ultrapassado. O mesmo retém para si, recursos que poderiam ajudar e auxiliar os educadores nesta difícil tarefa de educar. Portanto, sua contextualização se deve ao fato de que, na visão do coordenador, não se pode relacionar as ações com as atividades propostas, que foram formuladas por levantamento preliminar sobre dados da realidade escolar.
-Descrever e analisar o plano de trabalho do orientador educacional
Analisando o coordenador educacional e o seu plano de trabalho nesta escola, observo de forma clara que, suas ações são projetadas de forma a alcançar o aluno em todos os seus aspectos, objetivando assim, que a comunicação com os membros da comunidade escolar, é proveitosa, com isso, o coordenador atua de forma a ampliar a afetividade entre professor/aluno/família.
Algumas ações foram desenvolvidas neste processo, onde, diante das diversas concepções e praticas do orientador educacional, cabe-lhe ainda o papel de planejar e orientar o processo de ensino do professor e de aprendizagem para o aluno e junto com ambos, ele avalia os resultados alcançados, tanto no decorrer da ação quanto na fase final deste processo.
O trabalho do coordenador desta entidade de ensino é de articular, acompanhar e orientar as atividades educativas de integrantes da equipe de trabalho e principalmente a do professor. O coordenador ou orientador organiza suas ações de forma a integrar professor, aluno e família numa integração implementadora, e isso foi observado que tem acontecido, tem sido realizado nesta escola por esta coordenadora.

7.2. Indicação de pelo menos uma ação que comprove a contextualização do plano de trabalho com as famílias dos alunos e com a comunidade.
Semana da pátria_ A educação e o processo da cidadania são processos contínuos e coerentes que devem estar articulados aos objetivos gerais pré-estabelecidos, proporcionando ao educando a formação necessária para o desenvolvimento de suas potencialidades como elemento de sua auto valorização. Portanto, com a abertura da Semana da Pátria, é proporcionado um esclarecimento diversificado e consciente das desigualdades existentes, contribuindo para a construção de uma vida mais digna para todos, evidenciando também, que o respeito e a responsabilidade contribuem para encontrar o equilíbrio entre, garantir direitos e vivê-los responsavelmente de forma que ninguém seja privado deles.

Capitulo 8:
Orientador Educacional e Cidadania

8.1. Descreva e avalie como o plano de trabalho do orientador educacional pode contribuir para formação de cidadãos civilmente responsáveis pela sociedade da qual faz parte.
O plano de trabalho do orientador educacional é uma função integradora e articuladora onde, devem manter uma constante relação com professores, pais, alunos, equipe técnica, ou seja, com todos os envolvidos neste processo de educar. Diante disso, o orientador é responsável pela formação continuada dos professores, é responsável por estimular a resolução de conflitos e a tomada de decisões para o encaminhamento pedagógicos da escola, como também, possibilitar a compreensão da realidade  da unidade escolar, propondo formas de intervenção de ação coletiva.
O trabalho do orientador como mediador, tem um papel importante neste processo de integrar as comunidades entre si, ou seja, a comunidade familiar e escolar, com esta parceria e ajuda mutua, a escola pode desenvolver suas ações de forma objetiva e pertinente com suas atividades envolvendo todos os envolvidos num mesmo objetivo: o de formar cidadãos responsáveis por tornar um mundo melhor.


Conclusão
          O referido trabalho deu-nos oportunidade, enquanto profissionais da educação conhecer-nos como presença interventora, transformadora que estimula a criação, e para que haja conhecimento, é necessário também criar possibilidades para sua produção e construção, e isso requer   comportamento de todos os segmentos inserido no âmbito educacional.
 O levantamento da diagnose da escola possibilitou-nos conhecer melhor seus aspectos internos e externos, bem como o trazer a tona a real situação da mesma e suas peculiaridades.
Este trabalho nos deu subsídios para propormos ações que viabilizam o encaminhamento de propostas com a finalidade de solucionar problemas existentes no seu interior, como fora dele, para, em conjunto, implementarmos ações que venham ao encontro da necessidade de todos, bem como uma perspectiva dialética , fazer a interação entre o fazer administrativo e o pedagógico.
Em função disso, nós como profissionais atuantes, compreendemos que somente a organização, a participação e as modificações no interior da escola, vinculadas ao processo de uma gestão democrática, é que atenderá as perspectivas e desejos da maioria da população articulada no Projeto Político Pedagógico.
Crendo que a escola é o lugar propicio para o exercício da democracia, do planejamento, da construção coletiva do conhecimento, consideramos que é de fundamental importância que se estabeleça a articulação entre a escola e a comunidade que a serve, pois a escola não é um órgão isolado e suas ações devem estar voltadas para as necessidades comunitárias com muito trabalho, dedicação, participação para se chegar ao objetivo da educação que é promover o homem dentro de seu contexto social e político.


  Bibliografia

GADOTTI, Moacir & Romão, José E. Autonomia da Escola – Princípios e Propostas.
São Paulo: Cortez, 1977
MENDES, Rosa Emília de Araújo. Projeto Pedagógico em Favor da Escola. Belo Horizonte: AMAE Educando. Ano. XXXIII nº 291 – maio – 2000 ISSSN 0102 p, 12-7
Projeto de Ensino – Aprendizagem e Político Pedagógico. São Paulo: Liberdade, 2000. Veiga, Uma Passos Alencastro – Projeto político Pedagógico; Uma construção Possível.  Cortz, 2001

     Unip, Apostila: Mod.1, Grupo 5.1- Projeto de
     Ação  Pedagógica e Planejamento Educacional.
     -Planejamento educacional na Escola em Processo de
      Gestão  Democrática Participativa.
     -Projeto Político-Pedagógico e/ou Proposta Pedagógica.
      Legislação e normas básicas
      Site: portal. mec.gov.br







Postar um comentário